Tijoleko

Tecnologia da Construção Social

home

Em breve novidades sobre o II CTCS!

Conheça o I CTCS – Casa Dona Maria

Saiba mais

Como posso ajudar?

Contribua com o II CTCS, através de sua doação, pelo Pagseguro.



Sobre o Projeto



O Curso de Tecnologia da Construção Social foi criado pela empresa social Tijoleko, Soluções Sustentáveis para Construção Civil juntamente com o Sindicato da Industria da Construção e Mobiliário de Anápolis – SICMA com o intuito de integrar a sociedade ao conhecimento da academia através dos cursos de tecnologia, graduação e pós-graduação. O Curso visa projetar e construir obras de interesse social levantando recursos financeiros através de doações, unindo várias empresas, estudantes e comunidade na mesma causa. O SICMA, visando o aprimoramento de mão de obra e conhecimento técnico, além de apoiar o voluntariado se tornou o principal fomentador da ideia, assumindo assim a direção do projeto e a designação de idealizador.

A Tijoleko assumiu a designação de realizadora poi é a administradora de todos os projetos e execução da obra. O SENAI através da Faculdade de tecnologia Roberto Mange é o apoio educacional, dando credibilidade acadêmica ao projeto e sendo a instituição de ensino responsável por buscar a parceria das demais instituições de ensino que se demonstrarem interessadas em apoiar o curso.

No apoio institucional está a ACIA (Associação Comercial e Industrial de Anápolis), instituição que tem em seu histórico a contribuição ao desenvolvimento da cidade de Anápolis em várias ações realizadas ao longo dos seus mais de 82 anos.

A Tijoleko com mais de 7 anos de existência fundada inicialmente como uma industria de tijolos e revestimentos ecológicos, mas com o passar do tempo , se tornou uma empresa social, ou seja, todo o seu lucro é destinado a fomentar, incentivar e realizar projetos sociais principalmente voltados para área da construção civil.

II CURSO DE TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO SOCIAL

A criminalidade e a violência constituem-se em problemas sociais de maior mobilização no que tange a opinião pública, e afetam todos os setores da sociedade, independente de classe, raça, credo religioso ou estado civil. Suas consequências podem ser vistas nas diferentes escalas do cotidiano, desde valores corriqueiros a valores extraordinários.

A banalização da delinquência, a depredação e sujeira de espaços públicos, aliado a falta de comprometimento do cidadão em relação a segurança pública. Visando reverter parte deste quadro o 2º Curso de Tecnologia da Construção Social (II CTCS) tem a intenção de projetar e construir um novo prédio que servirá como o Departamento de Polícia Civil do Estado de Goiás em Anápolis, abrigando a Delegacia Geral na cidade, Delegacia do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC), Delegacia do Grupo Especial de Repressão de Crimes contra o Patrimônio (GEPATRI), Apoio a investigação da Polícia Militar e Delegacia de Flagrantes.

Além do melhor funcionamento dos órgãos acima citados, o II CTCS tem por princípio possibilitar a organização de um espaço destinado no prédio antigo a implantação do Programa Investigador Mirim, um programa social de cunho preventivo que visa receber crianças a partir dos 10 (dez) anos de idade de acordo com o Plano de Implementação do PIM “Interagir com a comunidade local na base de formação de crianças e suas famílias, incentivando as atividades no ambiente escolar e inserindo, de forma consciente e crítico-transformador, valores de cidadania, fortalecendo, assim, a admiração dessas crianças com a Polícia Civil do Estado de Goiás”.

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA

Inicialmente, a idéia era realizar apenas a reforma do prédio atual e construir um anexo para a implantação do projeto agente mirim, porém durante o levantamento dos dados e análise da atual situação das delegacias, percebeu-se a necessidade da criação de um novo prédio, que além de abrigar o agente mirim, pudesse resgatar através da sua arquitetura a identidade da policia civil e militar.

LOCALIZAÇÃO:

Localizado em um ponto estratégico, o departamento de polícia irá oferecer fácil deslocamento e acesso, tanto para a população em geral, quanto para os policiais que necessitem ter acesso rápido a rodovia.

ESTUDOS DE CASO:

O partido arquitetônico do novo prédio foi baseado em dois estudos de caso, sendo o projeto delegacia legal, oriundo do Rio de Janeiro e o Concurso Nacional de Arquitetura para Requalificação de Delegacias em Fortaleza – CE.

 

O Programa Delegacia Legal, foi concebido para modificar radicalmente a forma como a Policia Civil vem desenvolvendo suas atividades, através da transformação de todas as delegacias em Delegacias Legais. É uma verdadeira revolução na vida de uma delegacia, e conseqüentemente, do próprio trabalho policial. As modificações implantadas nas Delegacias Legais envolvem desde a divisão do espaço físico até as rotinas da unidade policial internas.

No segundo pavimento, além dos espaços destinados à investigação polícia, há um auditório, que pode ser aberto para reuniões sobre segurança pública com a comunidade local, e uma sequência de ambientes criados, de maneira inédita, para dar condições de trabalho para os policiais em atividade: Sanitários com duchas, quartos para repouso com beliches e uma copa que faz as vezes de área de convivência. Os espaços destinados ao conforto dos policiais receberam piso cerâmico e os demais, piso flutuante.

 

CONCURSO NACIONAL DE ARQUITETURA PARA REQUALIFICAÇÃO DE DELEGACIAS EM FORTALEZA
Fortaleza – CE

O projeto foi criado objetivando garantir o perfeito funcionamento das delegacias de polícia, assegurando um organograma e um fluxograma, que visem a separação das atividades realizadas nas delegacias, e afirmem a segurança e conforto de todos os usuários da instituição.

CARRUM DOWNS POLICE STATION
Victoria – Austrália

A instalação acomoda 70 pessoas da Unidade de Gerenciamento de Tráfego e Divisão de Serviços de Campo e foi projetada para ser organizada como uma série de zonas discretas – Cada uma com sua própria identidade, setorização, segurança, comodidade e relacionamento com o exterior. A setorização foi necessária para melhorar o atendimento de diversos grupos de usuários, criar um prédio convidativo e garantir o funcionamento seguro das áreas de operações. Paralelo a esses requisitos funcionais, era imperativo implantar através da arquitetura, a mudança da cultura organizacional da Polícia de Vitoria de ambientes celulares, para ambientes mais abertos e integrados.

 

 

VISITAS E COLETA DE DADOS

Após a definição do local do empreendimento fim, foram realizadas uma série de visitas em algumas das delegacias que seriam realocadas, estas vistas foram de muita importância, pois através das visitas, é que foram identificados os principais problemas e necessidades atuais. A partir deste levantamento, é que foi elaborado o programa de necessidades para o projeto da nova edificação.

 

Visita realizada na delegacia de flagrantes

DESENVOLVIMENTO

Um dos principais objetivos da construção social, é apresentar aos alunos envolvidos, no processo real de projeto, melhorando assim o aprendizado e capacitando dos futuros profissionais.
Os primeiros passos para a setorização dos ambientes, foi realizado em sala de aula, após
terem sido realizadas as visitas nas delegacias e definição dos estudos de caso.

Esboço da Macro-Setorização
Realizado em sala de aula

A macro setorização foi realizada, levando em consideração, os dados levantados durante as visitas das delegacias atuais e pontos relevantes extraidos dos estudos de caso.
O Dept. de Polícia foi projetado para ser uma edificação dinâmica e com o melhor aproveitamento de área possível, aplicando inclusive vários elementos da arquitetura corporativa.

 

Esboço da Macro-Setorização
Realizado em sala de aula

Um dos principais partidos arquitetônicos, foi a elaboração da setorização e
locação das delegacias dentro da edificação, de forma que privilegiasse três
aspectos:
– Segurança e Privacidade da População
– Dinamizar a Rotina de Trabalho dos Servidores
-Facilitar o deslocamento e segurança dentro da Edificação.

Elaboração do Pré-Projeto

Após a Elaboração do pré-projeto em sala de aula com a participação dos alunos, foi realizada outra reunião para
fazer as devidas adequações e elaborar o projeto arquitetônico em formato eletrônico.

CONCEITO E PARTIDO DO PROJETO

CONCEITO:

Criar uma edificação que contribua ao fortalecimento dos sentimentos de orgulho, respeito e entusiasmo em relação à entidade “Polícia”, remetendo a maximização destes sentimentos tanto por toda a população quanto dos próprios membros de toda segurança pública.

PARTIDO:

O partido do projeto está na relação entre a necessidade de se criar um prédio de fácil construção, com baixo custo da obra, baixo custo de manutenção ao poder público, sem deixar de respeitar a funcionalidade específica de cada delegacia, buscando a eficiência da edificação quanto as exigências térmicas e acústicas com uso de materiais fabricados na região de Anápolis.

MACRO SETORIZAÇÃO:

PROPOSTA:

A proposta, apresenta diversos elementos arquitetônicos que valorizam o uso do espaço, favorecem o conforto térmico e dinamiza os fluxos dentro do edifício.

READEQUAÇÃO DAS DELEGACIAS DA 3ª REGIONAL DE ANÁPOLIS

1.1 Prédio da atual 3ª DRP:
1.1.1 Programa Investigador Mirim;
1.1.2. Projeto Escola Sem Drogas: Equipe de palestras e conscientização itinerante e
eventos;

1.2. Praça do Expedicionário
1.2.1. 1ª DP;
1.2.2. 2ª DP;
1.2.3. NECRIM – Núcleo Especial Criminal de Mediação de Conflitos de Menor
Potencial Ofensivo;

1.3. Projeto intermediário da Central de Atendimento Especializado (Iniciativa Privada) 2 /3
1.3.1. Cenário a curto prazo;
1.3.1.1. Central de flagrantes municipal;
1.3.1.2. DEAM- Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher;
1.3.1.3. DPCA – Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente;
1.3.1.4. DEAI – Delegacia Especializada em Atendimento ao Idoso;
1.3.1.5. DICT – Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito;
1.3.1.6. Delegacia do Consumidor;

1.3.2. Cenário a longo prazo;
1.3.2.1. Central de flagrantes municipal;
1.3.2.2. DEAI – Delegacia Especializada em Atendimento ao Idoso;
1.3.2.3. DICT – Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito;
1.3.2.4. Delegacia do Consumidor;
1.3.2.5. Posto Avançado de Atendimento da DEAM;
1.3.2.6. Posto Avançado de Atendimento da DPCA;

1.4. Liberação do prédio da DEPAI para abrigar uma delegacia de comunidade de bairro com
a eliminação das celas.

Maquete Eletrônica

 

 

 

 





Casa Dona Maria

A ideia inicial do projeto é trazer novamente o sentido do habitar, do pertencer a um ambiente acolhedor e familiar, e a Casa da Dona Maria se adéqua para tal intervenção. A Dona Maria é uma mulher trabalhadora, que tem o prazer de cuidar dos filhos e netos, cheia...

Conheça o projeto

#ProjetoCasaDonaMaria